Livros: Comer, Rezar, Amar + Comprometida - Elizabeth Gilbert

18 de janeiro de 2016


Felizmente herdei dos meus avós paternos a paixão pela leitura e a compulsão por livros! O sótão da casa da minha avó é recheado de tesouros literários, que surpreende a todos da família pela quantidade infinita de livros, e pela variedade. Então toda vez que algum familiar tem a coragem de adentrar este verdadeiro oásis, eu aproveito pra surrupiar algum livro do acervo! Foi assim que eu herdei (roubei) a coleção completa das obras de Machado de Assis. :D 

Na minha adolescência tive a sorte também, de ter uma biblioteca pública na esquina de casa, o que me fez uma frequentadora bem assídua. Eu não tinha vida social, mas a minha listinha de clássicos da literatura mundial já lidos era de respeito! hahaha

Por isso, acho que já estava mais do que na hora de falar sobre livros aqui no Beleza de Ser!

E aproveitando que acabei de ler "Comprometida - Uma história de amor" da Elizabeth Gilbert, trago hoje a resenha desse livro e o do seu antecessor, "Comer, Rezar, Amar". Estou fazendo a resenha dos dois juntos porque são sequências, e acredito que seja muito interessante acompanhar dois momentos bem distintos da história de vida da escritora.

Vamos lá, então?!



Comer, rezar, amar: a busca de uma mulher por todas as coisas da vida na Itália, Índia e Indonésia 
Título Original: Eat, pray, love: one woman´s search for everything across Italy, India and Indonesia

Esse livro é descrito como um livro de viagens, mas pra quem já leu sabe que ele é bem mais que isso. Eu vejo como um livro de memórias sobre um casamento infeliz, um divórcio desastroso, relacionamentos disfuncionais, depressão, e por fim, o desejo do autoconhecimento por meio das viagens.  

Você se sente meio que a companheira de viagens dela, e assim, no meio dos passeios e descobertas turísticas, ela vai te contando tudo que passou até chegar ali. 
Eu me agarrei ao livro como um guia de auto-ajuda. hahaha Afinal, se uma pessoa chega ao final de um momento tão truculento na própria vida, e encontra paz e satisfação, é claro que o relato de todo esse processo também vai inspirar outras pessoas. E a mim inspirou muito!

O único momento mais chatinho do livro é quando ela começa a descrever suas experiências transcendentais com a meditação. Lembrei logo dos livros da Shirley Maclaine, que minha vó adorava, mas pessoalmente não tenho muito saco pra esse tipo de assunto.

Resumo do livro: história real da escritora americana Elizabeth Gilbert, que após o divórcio decide passar um ano viajando pela Itália, Índia e Indonésia. Na Itália ela se rende as delícias da culinária, na Índia ela passa rezando num retiro espiritual, e na Indonésia (onde ela só esperava se reencontrar com um guru espiritual) acaba encontrando o amor. Na Indonésia ela encontra o brasileiro Felipe, e isso acaba mudando todos os seus futuros planos.

Em 2010 o livro virou filme com Julia Roberts e Javier Bardem nos papéis principais. Se você nunca leu o livro, ou viu o filme, e gosta desse tipo de história, vale muito a pena! Eu gosto muito!



Comprometida: uma história de amor
Título original: Committed: a skeptic makes peace with marriage

Primeiramente quero fazer uma crítica a tradução do subtítulo do livro que deixa muito a desejar, no sentido de quase descaracterizar o objetivo do texto, e ser bem simplório. Numa tradução livre, o subtítulo ficaria assim: uma cética faz as pazes com o casamento. Beeeeem mais interessante!

E é a isso que a escritora se propõem; fazer as pazes com uma instituição que no passado só lhe trouxe infelicidade, e que agora por força do destino é obrigada a encarar novamente. 

Resumo do livro: aqui podemos ver o amadurecimento do relacionamento de Elizabeth e Felipe, e a dor de cabeça que enfrentam quando a imigração americana proibe Felipe de entrar nos Estados Unidos. Por isso são obrigados a fazer tudo que menos queriam; se casar!

A partir disso, enfrentam meses de burocracia para fazer com que o noivo seja aceito em solo americano, e nesse meio tempo Elizabeth esmiúça a história da instituição que conhecemos como casamento, num esforço de aceitar essa realidade novamente.

Por meio de estudos sociológicos, antropológicos, pesquisas acadêmicas e especialistas em casamento; ela percorre toda a evolução do relacionamento amoroso humano, tendo como foco o matrimonio.

Ficamos sabendo, entre outras coisas, que na Inglaterra e em outros países da Europa, a lei que imperava até pouco tempo atrás, era de que as mulheres casadas perdiam sua existência civil individual, ou seja, a mulher desaparecia como indivíduo. Inclusive se a mulher tinha propriedades herdadas da família, seria incorporada as do marido, sem o direito a te-las de volta no caso de um divórcio. (pág. 95) Legal, né?! Se algum dia você se perguntou qual a importância do movimento feminista na nossa vida, esse já é um bom exemplo pra começar a entender!

Se você assisti Downton Abbey, já conhece um pouco dessa lei, conhecida como coverture. E sabe também dos planos mirabolantes que as mulheres eram obrigadas a colocar em prática, para sobreviver com o minimo de dignidade nessa época.

Elizabeth também discorre sobre outras leis absurdas que foram caindo conforme a sociedade foi evoluindo. Uma delas era a proibição do casamento entre brancos e negros, que era punido com prisão para ambos. Outra lei determinava que americanas que se casassem com estrangeiros perderiam automaticamente sua nacionalidade, adotando a do marido. Mas os americanos casados com estrangeiras não perdiam sua nacionalidade. (pág. 97)

O livro mostra que apesar de todos esses problemas enfrentados durante séculos, o ser humano não deixou de se casar. E muito menos permitiu que leis e religião os impedissem disso.

Enfim, um livro muito interessante pra entender a importância que o matrimonio teve para a construção da sociedade ocidental contemporânea, e para a evolução humana. 

Gostaram? Já leram os livros? Coloque a sua opinião nos comentários!


Comente com sua conta Blogger
Comente com sua conta Facebook
Comente com sua conta Google+

2 comentários :

  1. Comer, rezar e amar eu já li e gostei.
    Comprometida não conhecia e achai interessante e com certeza a traduçaõ ao pé da letra dá muito mais curiosidade para ler.
    besitos

    www.blogmeamarro.com

    ResponderExcluir
  2. Vale a pena ler, Iara! Se você gostou do Comer, rezar, amar acho que também vai curtir esse!
    Os tradutores brasileiros ás vezes pisam no tomate feioooo!
    Bjos!

    ResponderExcluir



Digite seu email e receba nossas
atualizações gratuitamente

Siga @tati.blzdeser no Instagram

Topo