Reflexões sobre moda

31 de outubro de 2015


Há algumas semanas rolou as grandes semanas de moda do mundo, inclusive a SPFW, o que sempre faz com que muita gente comece a refletir mais seriamente sobre o assunto. Juntando se a isso, podemos citar também as repentinas saídas de dois estilistas renomados de grandes marcas de moda: Alber Elbaz na Lanvin e Raf Simons na Dior. Só para citar as mais recentes. O que suscitou uma discussão que acho bem pertinente para o nosso atual momento, não só na moda mas economicamente também. Será que a ambição desenfreada por alcançar metas e lucros, está matando a liberdade de criação dos estilistas de marcas pertencentes a grandes conglomerados? Sim, ou com certeza?

Não sou do ramo da moda, nem sequer estudei moda, mas sou apaixonada pelo tema e sempre li sobre isso, desde muito nova. E acho que até por ser uma consumidora de moda também, talvez eu tenha algo a dizer sobre o assunto, inspirada em todo o material que ando lendo ultimamente. Afinal, moda é uma  forma de expressão e arte mais democrática que mesmo inconscientemente é usada por todos nós todos os dias.

Quem trabalha com vendas, de uma certa forma consegue entender muito bem a pressão insuportável a que esses estilistas são submetidos. As inúmeras coleções por ano que precisam criar, o retorno financeiro que são obrigados a trazer, os elogios da crítica que devem inspirar. Essa é uma característica do momento econômico em que vivemos não só na moda, mas em todos os segmentos em que o lucro é o principal foco; a busca quase insana e irracional por atingimento de metas, mais e mais inatingíveis e fora da realidade. O que você atinge hoje, não interessa mais amanhã, amanhã são outras metas. Quando você acha que respira no final do mês quando finalmente entrega um bom resultado, já começa outro mês, e já é exigido de você o dobro daquilo que você fez. É desgastante! É brutal!

Desfile de primavera/verão Lanvin 2016

Quando se fala em moda ou em qualquer outro processo criativo, você percebe como a questão "dinheiro" engessa a liberdade de criação do designer, artista, inventor, criador. Você precisa criar, de forma genial, e original, algo que desperte desejo de consumo, crie uma esfera de identificação, e o mais importante; que dê lucro ao conglomerado a qual a sua marca faz parte. Em pouco tempo você acaba percebendo que você está criando não para o seu público, mas para o CEO da sua empresa. Dá pra entender como isso mata a criação?

Se pensarmos na moda a uns 40 anos atrás, quando você comprava uma peça de roupa de determinado estilista, você estava também comprando uma ideia de lifestyle, uma visão de mundo, uma identidade e uma forma de olhar para mulher (ou homem). Havia uma projeção clara dos ideais do criador naquela peça. Ou seja, cada marca tinha uma identidade, que você podia ou não se identificar. Havia espaço para novas abordagens, novos olhares, novos questionamentos, inclusive de cunho social.

Hoje isso se diluiu, ou foi trocado por pesquisas de mercado, identificação de tendências e manipulação do consumo. Isso é importante? Sim, também é, afinal moda é um negócio. E de uma forma mais sutil, também era usado a 40 anos atrás. O problema é que hoje cada vez menos se dá valor a criação, ao processo criativo propriamente dito do designer, que envolve experiências pessoais, emoções, que servem de inspiração para criar moda de forma significativa e ao mesmo tempo que convença os clientes a comprar aquela ideia genial.

Não existe criação original quando ela é voltada exclusivamente para o comercial. Não há criação original e impactante quando não há liberdade do ato criador, e isso é muito nítido. Não há um envolvimento emocional, entende?

Desfile de primavera/verão Dior 2016

É por isso que hoje tem se a sensação de que todos os desfiles se parecem. Foi identificado por agências de tendências um certo desejo de consumo e todas as marcas investem pesado nessa tendência. Você percebe que há uma pasteurização da criação de moda.

Quer um exemplo prático sobre isso? Vamos fazer um paralelo com a moda mais popular, que invariavelmente, segue as tendências das grandes marcas. Sempre fui consumidora de Fast Fashion, por ser mais acessível. Lembro que estava, como sempre, a procura da camisa branca com caimento perfeito, e ainda estou porque é bem difícil encontrar numeração de gente normal nessas grandes lojas. Parece que são feitas para pessoas com 1.50 metros de braços, ou para pessoas com um 1,50 metros de costas. Se você buscar em sua memória recente, vai lembrar que a mais ou menos um ano e meio atrás havia a febre das camisas transparentes, que eu não aderi, porque não curto, mas as Fast Fashions faziam questão de me empurrar goela baixo a dita cuja. Sério parece brincadeira, mas em TODAS as lojas era só isso que você encontrava.

Por isso tudo, e acreditando que esse cenário não mudará tão cedo, muitos veem as pequenas marcas como os verdadeiros expoentes da moda atual que possuem mais liberdade para criar novos conceitos de vestir e de se expressar. As grandes marcas terão ainda a sua influência, mas perderão muito espaço se não reverem seus posicionamentos. E cada vez mais veremos grandes estilistas se despedirem das grandes maisons para se dedicarem as suas próprias marcas, ou se juntarem a outras que tenham um perfil mais low profile.

E você o que acha sobre o assunto? Dê a sua opinião nos comentários!


Imagens de cima pra baixo:
http://www.fashionbubbles.com/bubbles/confira-o-calendario-da-moda-brasileira-e-internacional/
http://www.lilianpacce.com.br/desfile/lanvin-primavera-verao-2016/
http://www.lilianpacce.com.br/desfile/dior-primavera-verao-2016/

Não curti: Esfoliante Lancôme Resurface Microdermabrasion Body

29 de outubro de 2015


Será que alguém acertou que era esse item do post de comprinhas que eu não tinha curtido? Bom, aqui esta ele, o esfoliante que me decepcionou feio! :(

Antes de falar sobre ele, vou fazer um breve relato e um desabafo sobre o Esfoliante Corporal da Nívea. Ele era o meu preferido da vida! Era grosso na medida, tinha muitas partículas esfoliantes e muitas esferas azuis, que de acordo com a marca continham vitamina E. Rendia que era uma beleza! Daí né, a Nívea mudou a fórmula do meu querido, e quando fui usa-lo achando que se tratava do mesmo produto... tchanamm! O meu esfoliante virou uma coisa aguada, sem quase nenhuma partícula de esfoliantes e cadê as esferinhas? Nívea caiu no meu conceito!!

De lá pra cá tenho tentado achar um substituto a altura do meu querido, e eis que me aparece este com cara de coisa fina e de uma marca que gosto muito. Mas não rolou infelizmente!

Em San Andrés senti a necessidade urgente de um esfoliante, porque faço depilação com cera na virilha e pernas. E como todo mundo sabe, depois de uns dias, quem tem tendência a pelinho encravado (tipo eu!) vai sentir os benditos lá. O esfoliante ajuda muito nessa hora. E como esse era o único que encontrei na loja, foi ele mesmo que levei.



Além de ter sido caro pra c** é muito ruinzinho. Ele é muito grosso, grosso de um jeito difícil de espalhar. A quantidade de partículas esfoliantes é até que boa, mas são muito pequenas. Por ser tão difícil de espalhar, você acaba gastando horrores pra passar no corpo todo, ou seja, não rende nada.


Procurando pela internet alguma resenha desse produto, achei uma bem antiga no Temptalia. O que me fez ter quase certeza que esse produto não era mais comercializado. Lá descobri que esse esfoliante é indicado para peles sensíveis, ou para pessoas que esfoliam a pele regularmente. Bom, daí já se explica boa parte da minha implicância com ele. Minha pele do corpo não é nada sensível e gosto de um esfoliante um tantinho mais agressivo, porque aí sinto mesmo que tá renovada. Talvez se eu usasse mais vezes por semana tivesse um resultado melhor, mas não curto esfoliar muitas vezes a pele, porque fragiliza as barreiras naturais de defesa.

Como o meu lema é comprou tem que usar, estou usando com a esperança que acabe logo, para  que eu possa continuar com a minha missão de encontrar o meu próximo esfoliante queridinho.

E vocês tem alguma dica de esfoliante para me dar? Me ajuda aí, e coloca nos comentários os preferidos de vocês!



Viajando por aí: Cartagena das Índias - Colômbia

25 de outubro de 2015


Até que enfim saiu!!! hahahaah  Nosso Viajando por aí de hoje é em Cartagena das Índias na Colômbia. Quem me acompanha no Instagram, (@tati.blzdeser) viu que estive por lá no comecinho de Setembro em mais uma viagem com um grupo de colegas do trabalho. Então vamos lá conhecer?

A cidade natal do escrito Gabriel García Márquez, autor de Cem anos de solidão, é margiada pelo Mar das Caraíbas e é conhecida principalmente por seu centro histórico todo amuralhado e cheio de charmosas edificações com mais de 400 anos de vida. A cidade foi um importante porto de chegada para embarcações espanholas no século XVI, consequentemente atraia as visitas indesejadas de piratas, por isso a cidade tem essa característica de forte e muralhas que a defendia dos constantes ataques. 

Hotel Las Americas Casa de Playa onde ficamos na cidade, fica bem perto do Aeroporto Internacional de Cartagenas levando mais ou menos uns 10 minutos de traslado.

Na foto maior: o hall de entrada do hotel. Nas fotos a direita de cima a baixo: a piscina com tobogã; outra piscina do hotel; a vista da área da piscina com tobogã que esta bem de frente para a praia; a nossa vista do quarto. Da direita para a esquerda: o nosso quarto; eu fazendo posse de rica na parte superior do hall do hotel; e á frente do hotel. 

Em Cartagena quase não aproveitamos o hotel, pois saímos muito para city tours pelo centro, ou para almoçar e jantar na cidade, mas é um belo hotel, bem equipado e tranquilo. Uma opção bem comoda para se instalar na cidade, pois fica perto de praticamente tudo. O hotel também é muito procurado por empresas para reuniões de negócios, conferências e etc.

No mesmo dia á noite, saímos para jantar no centro histórico no restaurante El Santísimo. É um restaurante bem renomado na cidade, que mistura as técnicas da Cordon Bleu, (escola de culinária francesa famosíssima no mundo por formar os melhores chefes) com ingredientes caribenhos e a culinária tipica de Cartagena. 

O restaurante El Santísimo: Há um boneco vestido de Carrasco para tirar fotos logo na entrada do restaurante!

Como uma boa taurina que sou, a comida é o que mais me chama atenção nas viagens, e aqui não foi diferente. Jantar magnifico com um cardápio especialmente montado para o nosso grupo, com frutos do mar e especialidades da comida caribenha. A única coisa que não gostamos ( e isso foi quase uma unanimidade no grupo) foram das bebidas alcoólicas que eram bem fraquinhas. Pra mim, que não sou chegada numa birita, foi o de menos! Veredicto: Vale super a pena visitar o local, recomendo! 

Algumas das delícias que provamos por lá:

Na foto principal: San Martin Pescador, o prato principal com filé de peixe, frutos do mar e camarões e chips de banana. A cima a direita o cardápio montado para o nosso grupo. Abaixo: a nosso aperitivo feito de vinho tinto. A entrada: Crepe del Lama Goloso um delicado crepe recheado de verduras refogadas no azeite com molho de salsa e azeitonas. E a sobremesa: La Lujuria um crepe de chocolate recheado com sorvete de baunilha, com calda de chocolate branco e licor de menta.

O dia seguinte foi bem agitado! Começamos o dia com uma visita guiada pelo famoso Castillo  San Felipe de Barajas. Uma construção de pedra que levou mais de 100 anos para ser construída, e que funcionava como forte e prisão. A vista do local é impressionante! Entramos dentro do castelo por túneis minúsculos onde havia várias celas que funcionavam como prisões. Uma dica: se você tem claustrofobia não entre, pois é de dar agonia lá embaixo! É escuro, cheio de túneis apertados e abafado que só! Não via a hora de sair dali, só fui mesmo por que a curiosidade foi maior que o medo!






Um pequeno vídeo mostrando a vista do Castelo!


Logo após fomos visitar o Convento Santa Cruz de La Popa, uma construção no local mais alto da cidade, com uma vista linda da cidade toda, e que data de 1607. No geral não curto muito visitar igrejas e conventos, mas o que me encantou nesse local foi, claro a vista, e o jardim interno que é uma graça!
O convento também tem um museu com peças religiosas e artefatos usados no século XVI pelos agostinhos, ordem que ocupava o convento.


Antes do almoço ainda fomos visitar a Joyeria Caribe Museum & Factory, um misto de museu, loja e fabrica de jóias especializada na confecção de jóias com esmeraldas. Pra quem não sabe a Colômbia é uma das maiores produtoras de esmeraldas do mundo! Existem muitas joalherias pelo país especializada em jóias com essa pedra lindíssima. Fiquei encantada com o lugar! Logo que entramos no local a guia nos mostra como acontece a limpeza e lapidação da pedra.


Em seguida fomos para a loja propriamente dita, onde você encontra jóias lindíssimas em ouro e prata, todas com esmeraldas. Os preços são bem salgados, não dava para esperar menos que isso, não é? Afinal a gente tá falando de pedra preciosa! Fiquei tentada a levar um anel de prata com três pequeninas pedrinhas verdinhas pela bagatela de U$80,00! Mas deu uma dor enorme de gastar tudo isso com algo que eu não teria nem onde usar! Imagina eu desfilando pela PG com meu anel bapho por aí...primeira esquina já arrancavam o anel do meu dedo!!!

O andar de cima da loja, funciona como museu, e você fica de queixo caído com as peças em esmeralda em formato de tudo que você possa imaginar.


Pra quem gosta e esta disposto a gastar umas verdinhas é um lugar muito bom de se visitar, e até para aqueles que não estão disposto a comprar vale a pena para conhecer mais sobre a confecção de jóias, e sobre a história da extração da esmeralda no país.

Fomos almoçar no restaurante Quebracho dentro da cidade murada. O restaurante é um dos melhores em carnes da cidade, especializada na culinária e cortes argentinos. O caminho para o restaurante foi todo feito a pé pelas ruazinhas da cidade murada, e foi um encanto finalmente entrar nesse livro de histórias ao céu aberto!

O restaurante Quebracho, e o nosso prato principal que me faz salivar até agora! Muito bom restaurante vale a visita, recomendo!

Após o almoço a maioria do grupo volto com a guia para o hotel, pois a maioria reclamava muito do forte calor que fazia, muitos preferiram voltar e se divertir na piscina. Eu, Natasha e mais um pequeno grupo resolvemos desbravar as ruazinhas da cidade histórica. Afinal, esse era o encanto principal da viagem!!

Tirei muitas fotos de prédios que é um mais lindo que o outro! Fomos atrás da famosa bolsa Wayuu, que vende em qualquer esquina por lá, e é vendida hiper caro aqui no Brasil! Eu não curto esse tipo de bolsa, mas minha amiga levou duas, e devo concordar que são muito bem feitas. até as que são vendidas por vendedores de rua. Então se você curte esse tipo de bolsa deixe para comprar lá, que custou mais ou menos uns 70.000,00 Pesos Colombianos, algo em torno de uns R$ 100,00. Nada mal para quem pagaria de R$ 250,00 a R$ 360,00, se comprasse aqui!

Algumas fotos do centro histórico, e da "calçada da fama" das ganhadoras do concurso de beleza do país, que fica em frente  a Casa Sede del Concurso Nacional de Belleza.

E claro que eu, como uma boa roqueira que sou não poderia deixar de visitar o Hard Rock Café, né!? Um sonho realizado! E qual foi a minha surpresa ao encontrar uma roupa usada pela minha musa mor Madonna em exposição no museu?! Quase pirei minha gente!  


A fachada do Hard Rock Cafe. Eu e a roupita da minha Diva, que foi usada na turnê The Girlie Show no começo dos anos 90. 
Ufa! Depois disso tudo voltamos ao hotel de táxi, e aproveitamos o finalzinho da tarde na piscina pra descansar. Uma boa notícia aos turistas, os táxis em Cartagena são tabelados, não existe bandeira nenhuma lá, então é um meio de transporte bem barato, acessível e tem uma boa frota de carros! Pagamos 12.000,00 Pesos Colombianos pelo trajeto até o hotel. Um valor super amigo!

A noite saímos para jantar em grande estilo! Uma Chiva Rumbera, uma espécie de ônibus aberto que é um transporte típico local, veio nos pegar no hotel e fizemos todo o trajeto até o restaurante ao som de músicos tocando canções populares do país, e tomando rum com seven up!

Aqui está o vídeo pra mostrar um pouco da bagunça na Chiva:

Obs: A pessoa tem sérios problemas com câmeras hahahah Eu travo completamente! E depois quer ser Youtuber, diz... como?!



O nosso jantar foi no restaurante Mister Babilla, um misto de restaurante e casa noturna com pista de dança. O jantar foi bem simples mas muito saboroso! Recomendo!!

Eu posando na frente da Chiva nomeada de La Pechichona!


E é isso pessoal! Espero que tenham gostado, o post ficou gigante, mas quis fazer assim pra dividir por cidades. No próximo post fica ligado que vai ter a segunda parte dessa viagem mara, que é em San Andrés, o paraíso de águas de sete cores!!!

Diz aí nos comentários o que você achou da viagem, vou gostar muito de saber!

Se você se interessou pelo roteiro e pela cidade, aqui estão alguns link para você pesquisar valores sobre o destino:

Hotel (esse é o site da rede, que tem vários hotéis pela cidade):

http://www.hotellasamericas.com.co/home/ES

Esse é o link para a Agência de viagens que fez todo o roteiro da viagem, inclusive para a nossa viagem para Punta Cana também:

http://fourpoints.com.br/


Informações adicionais:  Wikipédia, Melhores Destinos, Four Points, Colômbia.travel.

Imagem de frente do restaurante Quebracho, site:
 https://www.degusta.com.co/agrandarfoto/quebracho-1356.r.0.html

Top 5 músicas para sacudir a poeira e dar a volta por cima!

2 de outubro de 2015


É minha amiga, meu amigo...a coisa não tá fácil pra ninguém! Como diria a Jout Jout nesse vídeo: Tá todo mundo mal! 

Terminou com o namorado/marido/casinho/enrosco/pegação? Tá puxando os cabelos com o TCC (te entendo miga/o!)? Toda vez que você vai pro estágio obrigatório (ou não) misteriosamente você começa a ouvir aquela musiquinha da Isaura? Seu chefe não larga do seu pé?( bate aqui ó o/ )  Sua mãe/pai/tio/tia/vó/vô/padeiro/sociedade/universo não largam do seu pé perguntando; "quando é que você casa?" (no coments!) Você finalmente tá no último ano da facul, e...valeu a pena? (você não está vendo, mas estou rindo loucamente, com cara de louca!)

Eu sei meu amigo, minha amiga da vontade de deitar no chão em posição fetal e fingir que você não existe, né? Ou, esperar que alguém te acorde e diga: PEGADINHA DO MALANDRO! Sua vida não é tão bosta assim!!! Toma aqui 1 Zilhão de Reais pra você gastar no que quiser!!!

Ah, pera...a gente nem falou da situação do país, né?

...



Mas não, não se desespere nãooooo!! Vou te presentear com uma pequena dozizinha de animo!! Eeeeeeeee!!! (e pra mim também! :D) 

As minhas músicas preferidas pra dar uma levantada no seu animo, sacudir a poeira e dar a volta por cima!!!

Vamos? Tá, então pega na mão da tia aqui e vamoooo!!!


Number 1:   Dancing Queen - Mamma Mia



Putz! Essa é levanta defunto! Te desafio a ficar parado com essa música! Não vale nem bater os pezinhos no chão hahaahaha. Essa é o tipo de música que cura todos os males, se você tá borocoxo e não sabe porque, esse é o remédio!  Bota essas minas pra tocar, que logo logo você vai tá fervendo feito Drag na Parada Gay da Paulista!

Se jooooogaaaaa!!!!!


Number 2:  Gonna get over you  -  Sara Bareilles


Tá na bad por causa do namorado/marido/enrosco/casinho/pegação/coisa indefinida/encosto? A Sara te ajuda!! Pra ela tudo bem você tá mal assim,viu?! Ela te entendi miga!!! Mas, oh...nada de ficar nessa por mais tempo que o necessário, bele?! Bota uma roupa de phyna, chama as amiga e arrasa no carão!!! 


Number 3:  Sisters are doin´it for themselves  -  Eurythmics



Você rala feito uma condenada no trabalho/facul/estágio/cursinho, faz o mesmo serviço que aquele Zé Ruela que senta do seu lado, ganha menos que ele e ainda é chamada de sexo frágil?! E ainda é obrigada a ouvir graça de peão de obra!!!  Cheeeegaaaa! Põe no último essa música e canta junto com as nossas amigas Annie Lennox e Aretha Franklin: SIS ESTÃO FAZENDO TUDO POR SI MESMAS!!! 

Mas, oh... a gente ainda gosta dos boy magia, tá gente!!!  :D


Number 4:   Everything is Everything  -  Lauryn Hill



Lauryn é Rainha!! Lauryn é F**!! E ela tá aqui pra te lembrar que o seu dinheiro acaba logo, mas a tristeza também um dia acaba!! A coisa tá ruim? Mas pode crer que vai melhorar! Nas palavras dela:
"Depois do inverno, sempre vem a primavera" Oh, tá vendo, Lauryn é sábia escuta ela!!


Number 5:   Jump  -  Madonna


Pega na mão da Madge e vai...PULA! Calmaaaaa, não literalmente pelo amor hahahahahah. Mas pula para os seus sonhos, pula pra mudar sua vida, não, nãoooo olha pra trás...PULA! A Madge acredita que você pode fazer isso por si mesma, e você?

Ufa! Gostô?

Se depois dessas 5 jóias, nada disso funcionar, você faz que nem a Sara, (olha a nossa amiga ai outra vez!) e solta a franga no meio da rua, afinal quem dança seus males espanta! ;)

See jooooogaaaaa!


Bonus track: Sara Bareilles  -  Brave





Imagem 1: http://kboing.com.br
Imagem 2: http://ematomaoficial.blogspot.com.br/2015/07/desespero.html
Imagem 3: http://www.opregadorfiel.com.br/2012/04/tempos-de-desespero-pedem-medidas.html
Imagem 4: https://maniacosporfilme.wordpress.com/2012/04/25/horas-de-medo-uma-brutal-e-sombria-combinacao-de-horas-de-desespero-e-violencia-gratuita/
Imagem 5: http://www.institutoliberal.org.br/blog/o-desespero-da-esquerda-mostra-que-estamos-no-caminho-certo/


Digite seu email e receba nossas
atualizações gratuitamente

Siga @tati.blzdeser no Instagram

Topo