Decisões difíceis: A Otosclerose e a cirurgia de Estapedectomia

22 de setembro de 2016



Quem já me conhece ou já fuxicou nas páginas do blog, sabe que eu sou deficiente auditiva, e usuária de aparelho auditivo (AASI) nos dois ouvidos. Apesar disso, pouca gente sabe como cheguei nessa condição. Sim, por que até os 25 anos tive uma audição normal, sem perda significativa, e sem imaginar nem por um minuto que seria surda em algum momento da minha vida.

Aos 26 anos, e depois de passar por três Otorrinolaringologistas, recebi o diagnóstico de Otosclerose em ambos ouvidos. 

A Otosclerose é de acordo com a Wikipédia: 

"uma doença do ouvido médio que causa surdez progressiva. A otosclerose tem um carácter hereditário.
A causa da otosclerose é hereditária. A doença resulta da formação anormal de osso que imobiliza progressivamente o estribo (o ossículo mais interno do ouvido médio), o que impede que as vibrações sonoras passem para o ouvido interno (surdez de condução). Na maioria dos casos de otosclerose, ambos os ouvidos estão afetados.
Aproximadamente 1 pessoa em cada 200 é afetada pela doença, a qual, na maioria dos casos, só é percebida na idade adulta. É mais frequente nas mulheres do que nos homens e agrava-se durante a gravidez e na menopausa."
A Otosclerose não possui cura, ou seja, a perda auditiva continuará evoluindo durante toda a minha vida, e poderá até chegar a surdez total. A minha esperança é que a ciência descubra uma cura definitiva. 

Há duas opções de tratamento da doença: a prescrição de Alendronato de Sódio (medicamento comumente usado por pacientes com Osteoporose) para estacionar a doença, juntamente com o uso do aparelho auditivo para melhorar o nível de audição; ou a cirurgia de Estapedectomia, que substitui a área afetada do estribo por uma prótese de Teflon ou Titânio. 

Naquela época meu médico foi bem realista quanto a questão da cirurgia; não seria uma cura para a doença, e não havia certeza de melhora da audição. Seria uma cirurgia que se tivesse sucesso, me possibilitaria uma audição melhor, pelo menos por mais algum tempo. Além de ainda assim ser preciso o uso do medicamento e aparelhos. Em contra partida, se eu não fizesse a cirurgia, haveria um determinado momento da evolução da doença, em que ela não seria mais uma possibilidade. Por tanto a decisão de fazer, ou não a cirurgia era única, e exclusivamente minha.



Eu tinha acabado de passar por uma cirurgia completamente desnecessária a minha doença, onde foram colocados dois drenos, um em cada ouvido, pois o meu médico em questão, acreditava que o meu problema se resumia a um acumulo de secreções no ouvido. Essa cirurgia só serviu para me tirar dinheiro, tempo e alegria de viver. Então outra cirurgia naquele momento não estava nos meus planos.

E de lá pra cá foi o Alendronato e o aparelho auditivo que me proporcionaram uma vida praticamente normal. No entanto, agora dez anos depois, a doença me tirou 75% da audição do ouvido direito, e um pouco menos no ouvido esquerdo. Então agora estou aqui me preparando física e psicologicamente para fazer a Estapedectomia, primeiramente no ouvido direito (o pior) e se tudo der certo, fazer no ouvido esquerdo.

As chances de melhora hoje são mais reduzidas, e tenho plena consciência disso. Mas me sinto mais preparada agora do que a alguns anos atrás. Além do mais não posso perder a oportunidade de pelo menos tentar. Não é mesmo?!

Pretendo mostrar pra vocês o pós-operatório da cirurgia, pois não há muito material por aí falando sobre o assunto, e poder quem sabe ajudar outras pessoas a terem mais conhecimento sobre o procedimento e tomarem decisões mais tranquilamente. 

Alguns links (é só clicar em cima) para vocês conhecerem melhor o assunto:



Estapedectomia (aqui tem um vídeo mostrando a cirurgia)

Crônicas da Surdez (Blog da Paula Pfeifer que fala sobre surdez)

E é isso pessoal, torçam por mim!!! :)



Foto 2: http://www2.uol.com.br/sciam/noticias/tomar_decisoes_extenua_o_cerebro.html
Foto 1 : http://www.ibccoaching.com.br/portal/comportamento/como-coaching-pode-ajudar-tomada-de-decisao/

Sobre o estilo de cada um

19 de setembro de 2016


Ter estilo ou ter um estilo determinado de se vestir, depende queira ou não, de um processo de autoconhecimento que envolve não só roupa, mas vários aspectos da sua personalidade e vida. Lembro que passei por várias fases, da pré adolescência ao começo da vida adulta; teve a fase grunge de camisa de franela e all stars, a fase sex and the city das roupas ousadas e saltos de 7 cm. Teve até aquela fase hippie natureba do final da década de noventa, que prefiro esquecer que existiu! hahahah

Hoje, aos 36 anos de idade, a coisa mais importante na hora de me vestir é conforto. Acho que quanto mais velha a gente fica, mais importante vai ficando essa palavrinha. Conforto no sentido físico, mental e emocional da palavra. 

Tudo na vida leva tempo, e acredite em mim, talvez não seja na adolescência que você vai se encontrar no seu estilo. Eu me "encontrei" muitos anos depois do final da minha. Acho que precisa de muito escorregão, desprendimento das tendências e um pouquinho de "foda-se o que os outros acham que eu devo usar". Na adolescência ainda somos muito dependentes da ideia de pertencer a um grupo, de se fazer perceber e somos facilmente influenciáveis pelo que está rolando na mídia e nos ambientes mais próximos a nós. 

Lembro de ter lido uma pesquisa, que demonstrava que mais ou menos aos 25 anos a gente vai diminuindo a nossa tolerância ao novo. Bem, isso é bom e ruim ao mesmo tempo. Por um lado é ruim, porque sejamos sinceros, quem não se adapta ao novo vai ficando pra trás no ritmo de vida atual. E é bom num sentido de sermos menos vulneráveis aos "últimos gritos da moda", e estarmos mais "sintonizados" com aquilo que nos faz bem.


via GIPHY

Tudo na vida é uma questão de equilíbrio, não é? Tô querendo exercitar a balança! No momento estou bem inclinada a pensar que gostar de moda não é necessariamente seguir tendências, mas talvez saber qual delas se encaixa no meu próprio estilo.

Depois de todas essas fases que passei descobri que meu estilo é mais clássico, simples e casual; chegando quase ao minimalismo. Pelo que ando vendo nos Intagrams das blogueiras mais famosas, ando meio démodé. Mas quem tá ligando?

Talvez seja um sinal de amadurecimento. Talvez hahahaah

Enfim, a minha mensagem é que você seja você mesmo, mesmo que seu estilo não esteja tão na moda assim. É mais saudável, e economiza energia para coisas mais importantes na vida!



foto: http://blogdoestagiario.com/2016/02/01/a-problematica-da-moda/

Avon Condicionador Labial com Retinol FPS15

13 de setembro de 2016


Faz muitos anos que uso esse Condicionador Labial da Avon e sempre achei que ele faz maravilhas no quesito ressecamento e volume dos lábios. Mas foi só quando o troquei por outro que descobri o quanto ele era indispensável. Coisas da vida!!! hahahah ás vezes a gente precisa ficar sem algo (ou alguém, se for o caso) pra dar valor!!

"Adeus lábios ressecados! Renew Condicionador Labial FPS 15, contém um complexo de hidratantes e emolientes que melhora o ressecamento dos lábios, deixando-os muito mais macios e suaves, com textura natural e aparência mais jovem e saudável, além de proporcionar hidratação de longa duração. Com Retinol e Colágeno que ajudam a reduzir as linhas finas e rugas e realçam o volume dos lábios". (descrição site Avon, www.avonstore.com.br)


Esse condicionador foi o único que deu jeito naquelas pelinhas irritantes que aparecem nos lábios em dias mais frios e secos. Sabe quando tá muito frio e os lábios chegam a arder? É como se fosse uma queimadura de ficar exposta ao vento gelado, e incomoda muuuuito. Esse foi o único que deu jeito naquela hora. Aliviou muito a sensação de queimado e ardência.

Sinto que deixa os lábios mais lisos, e eles ficam com uma aparência de mais "cheios", com mais volume. Não, não é aquela coisa "agora tenho os lábios da Angelina Jolie". É sutil, mas sinto a diferença quando uso outros produtos. O colágeno e retinol da fórmula são os responsáveis por essa aparência mais lisa e volumosa que ele dá aos lábios.

Outra coisa que gosto muito desse produto é que ele tem FPS 15, o que protege a área das agressões dos raios do sol. Dou muito pouca atenção a proteção dessa área, e já ouvi falar que só o batom não garante a proteção da pele dos lábios. Bom, um pouquinho de proteção a mais não faz mal a ninguém, não é!?


Ele tem uma corzinha bem leve de rosa, e pode ser usado antes do batom ou sozinho, como brilho labial. Não altera a cor do batom, mas se for usar um batom super matte por cima ele vai alterar o acabamento opaco. Ninguém é perfeito!!!

Custa em média uns R$ 40,00, mas sempre vejo em promoção na revista ou no site da Avon.

Já experimentei um outro condicionador de lábios muito bom contra o ressecamento, que é o Lip Conditioner da MAC, mas é extremamente difícil de encontrar até mesmo nas viagens internacionais que fiz, e claro beeeem mais caro. Mas oh, esse é tão bom quanto o seu primo rico, viu?!!

E você já usou esse? Ou tem outros pra me recomendar? Conta pra mim!

Comprinhas dos últimos meses

10 de setembro de 2016


Minhas comprinhas andam bem pobrinhas, por que né, a crise tá aí e o dim dim tá curto! hahahah
Na verdade só três itens da foto acima foram realmente comprados, os outros três foram brindes ganhos nas compras da Sephora. O Beauty Club da Sephora é um clube de fidelidade onde cada compra é revertido em pontos para retirar em brindes depois. Você tem, também, descontos especiais nas compras, fica sabendo das novidades antes de todo mundo, além de ter um brinde especial de aniversário!!! Gosto muito!!! hahahah



1. Caudalie Óleo Seco Multiuso Huile Divine

Não eu ainda não desisti dos óleos secos em embalagens de vidro hahahahh
Esse óleo seco é multifunções; serve tanto para o corpo, quanto para o rosto e cabelos. Essa embalagem parece ser mais "segura" que o do óleo da Nuxe, que tem resenha aqui (veremos se ele resiste a minha estabanação!) 
Paguei R$ 84,15 nessa embalagem de 50 ml, com o desconto de 15% dado pelo Beauty Club. O valor normal do Huile Divine de 50ml é de R$ 99,00.

2. Bourjois Corretivo Healthy Mix Anticernes Correcteur - 52 - Éclat Medium

Sou apaixonada pela base Healthy Mix da Bourjois (resenha aqui), e queria o corretivo da mesma linha e cor para dar aquele ar de make mais natural. Descobri que não curto muito aquela make com corretivo mais claro que a base.
Paguei R$ 47,60 com o mesmo desconto, e o valor normal é de R$ 56,00.

3. MAC Batom Satin - Brave

Esse batom comprei a algum tempo (maio pra ser exata).  
O Brave é da linha regular da MAC, um rosa malva queimado de acabamento Satin (acetinado). Veja swatch logo abaixo.
Paguei o preço normal R$ 73,00.

4. Nars Batom Satin Lip Pencil - Rikugien

Item do kit de aniversário do Beauty Club, recebido em Maio, essa é uma miniatura do batom da Nars em lápis. A cor Rikugien tem acabamento Satin (acetinado) e é um rosa claro cintilante quase lustroso. Veja swatch abaixo.
O valor do batom em tamanho normal na Sephora sai a R$ 136,00.

5. Nars Batom Velvet Matte Lip Pencil - Cruella

Outro item do kit de aniversário. O Cruella é um tom de vermelho mais fechado com acabamento mate aveludado. Swatch abaixo.
O valor do batom em tamanho normal é de R$ 136,00.

6. Sephora Sombra Colourful Eyeshadow - 13

Essa miniatura de sombra resgatei do valor dos pontos no Beauty Club, mas me dei mal, pois a cor número 13 é um azul médio cintilante, e eu não curto muito sombra azul nesse tom. Parece ser bem pigmentada, veja swatch abaixo.
O valor da sombra em tamanho normal é de R$ 51,00.




E aí já usou um desses produtos? Conta pra mim o que achou!



Digite seu email e receba nossas
atualizações gratuitamente

Siga @tati.blzdeser no Instagram

Topo